quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Charge do dia: Exames


Não é só a saúde da prefeita que está abalada. A da cidade também não está lá essas coisas todas.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Charge do dia: Efeito "Ápia"


O eterno problema do Caixa 2. Há suspeitas de que o deputado João Maia teria usado o dito cujo na sua campanha, segundo apurações da Operação Ápia e posterior denúncia da justiça eleitoral. O deputado nega.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Ilusão: Colorindo sem o Photoshop.


Essa imagem em preto e branco ficará colorida após você fixar o olhar no ponto preto que fica no meio dela. Não se preocupe; não vai aparecer nenhum monstro gritando e fazendo você sujar as calças. Via Buteco da Net e Asttro.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Charge do dia: Oposição e/ou Governo


Nas últimas eleições, o senador Garibaldi Filho conseguiu uma proeza política, além do seu desempenho de mais de um milhão de votos. Aqui no RN, apoiou a senadora Rosalba, candidata do DEM ao governo estadual (em oposição ao candidato do governo federal) ao mesmo tempo em que apoiou Dilma para presidente e hoje é seu ministro da previdência. Quer dizer, lá em Brasília ele é governo e aqui também. Mas, na medida em que apoia o governo do DEM, não deveria ser considerado oposição? Não parece que ele joga em dois times... ao mesmo tempo? Sou eu que não entendo de política ou o senador com seu jeitinho tranquilo e sorridente "armou e se deu bem"?

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Charge do dia: Então é Carnatal...


Respeitáveis Burros, Bananas e afins... sinto muito se a charge destoa do senso comum que o Carnatal é uma coisa muito boa para a cidade, pelo menos nas condições em que ocorre e sem uma avaliação mais profunda dos prejuízos sociais e dos verdadeiros lucros e lucradores.

A propósito, muito pertinente a "promulgação" do AI-6, do professor Ricardo Rosado, que transcrevo aqui:

DECRETO Nº. 10.000 DE 03 DE DEZEMBRO DE 2010.

Dispõe sobre a realização do Carnatal e dá outras providências.

A PREFEITA CONSTITUCIONAL DO MUNICÍPIO DE NATAL, CAPITAL DO ESTADO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município de Natal, artigo 55, VI,

CONSIDERANDO que o legislador municipal não tem a necessária isenção para tratar de tema tão importante para... (ah! deixa pra lá);

CONSIDERANDO que o Tesouro Municipal há 20 (vinte) anos reserva, sem contestação, os recursos suficientes para a realização da folia;

CONSIDERANDO, por fim, que está todo mundo ocupado com assuntos menores, como a guerra urbana carioca e as operações Higia e Apia;

DECRETA:

Art. 1º Os órgãos e entidades da Administração Pública municipal deverão ficar à disposição do Carnatal pelo período requerido por seus organizadores.

Parágrafo Único — Os servidores envolvidos diretamente com o evento Carnatal em Natal não farão jus a horas extras;

Art. 2º - As unidades municipais de saúde adaptarão as escalas de plantão de acordo com a demanda estimada pelos organizadores do evento.

Art. 3º A Guarda Municipal manterá de prontidão os pelotões requisitados pelos organizadores do Carnatal, auxiliando, inclusive, na organização das filas para entrega de abadás.

Art. 4º A limpeza urbana concentrará suas tarefas diárias no entorno da realização do evento.

Art. 5º -Todas as viaturas do SAMU Municipal serão deslocadas para o evento a partir das 16h de cada dia da festa, lá permanecendo até o dia amanhecer.

Art. 6º- Fica temporariamente flexibilizado o direito de ir e vir do natalense no raio de até 2 km do local do evento, absolutamente a critério do organizadores da folia. Se alguém reagir para entrar em sua própria casa, a Polícia Militar deve prender o meliante;

Art. 7º A Câmara Municipal de Natal também se autodissolve neste período, por acordo das lideranças, dando folga aos ilustres vereadores e seus abadás;

Art. 8º- Ministério Público, Receita Federal, Polícia Militar, Governo do Estado, Tribunal de Justiça, Justiça Federal e todos os flanelinhas, também suspendem suas atividades neste período, para não atrapalhar a folia e prejudicar o lucro dos organizadores do evento, e que eles possam também cair na farra, que ninguém é de ferro;

Art. 9º Está suspensa a cobertura da imprensa que possa prejudicar o evento, proibidas as críticas e espaços para as reações dos moradores de Natal. A partir desta data está liberada a babação e o puxa-saquismo na comunicação;

Art. 10º Cumpra-se.

Art. 11- Publique-se na madrugada do segundo dia do Carnatal.

“Estamos numa Democracia, e ai de quem duvidar”! já dizia o democrata João Batista de Figueredo.

Gama e Silva Falcão, Ministro provisório da republiqueta de bananas na qual se transforma Natal todo ano.

Link para postagem original: http://www.fatorrrh.com.br/2010/11/o-decreto-secreto-ai-6.html

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Charge do dia: Licitação esvaziada.


Charge local. A licitação para a construção da "Arena das Dunas" não recebeu nenhuma proposta. Em outras palavras, botaram areia nas Dunas.

sábado, 20 de novembro de 2010

Dissertação de Mestrado


A quem possa interessar: estou disponibilizando o arquivo em PDF da minha dissertação de mestrado que cursei pelo Programa de Pós-graduação em Educação da UFRN. Baixe através desse link: http://dl.dropbox.com/u/7687893/IvamCS.pdf

.....................................................................................................................
Resumo:

Título da dissertação: Humor Gráfico: o sorriso pensante e a formação do leitor

Orientadora: Profª Marly Amarilha

A pesquisa investiga o humor gráfico, em particular a charge e o cartum – textos caracterizados pela hibridez da linguagem visual-verbal, e sua contribuição na formação do leitor. Resgata as principais teorias sobre a comicidade em geral e verifica a presença desses conceitos nos textos de humor gráfico e como se articulam no processo de sedução do leitor. Fundamenta-se nos estudos de Umberto Eco sobre os produtos da indústria cultural e sua relação com a teoria literária e a estética da recepção. Após analisar textos de humor gráfico, o estudo conclui que a tríade imagem-palavra-humor revela um sofisticado arranjo que permite ao leitor das charges e cartuns um exercício eficaz de produção de sentido, cooperando de modo singular para a formação do leitor reflexivo.

Palavras chave: leitura – humor gráfico – charge – cartum – comicidade – recepção – imagem.

Charge do dia: Tromba na taça

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Charge do dia: Aniversário do Novo Jornal


Dizem que não existe charge "a favor", né? Então isso aqui não é um charge. Trata-se de um elogio visual ao Novo Jornal, minha casa desde março de 2010. Parabéns pra nós nesta data querida...

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Revista Maturi premiada


A Maturi foi eleita a melhor revista independente na 3a. edição do Prêmio Bigorna!
Vejam mais detalhes, clicando na imagem para ampliá-la ou acessando esse endereço: http://www.bigorna.net/index.php?secao=artigos&id=1289215918 . Parabéns a todos os quadrinistas, sejam do Grupehq ou não, que enriquecem o quadrinho potiguar!

Charge do dia: De$vio II

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Charge do dia: "Empoçado"


Charge local. Nesses dias de política tiririquiana, um trocadilho com o boicote à posse do suplente de deputado Siqueira. Simplesmente os deputados ignoraram a presença do suplente no plenário no dia de ontem. Para entender, leia o post anterior (http://www.ivancabral.com/2010/11/charge-do-dia-camara-salvadora.html).

sábado, 6 de novembro de 2010

Charge do dia: Câmara salvadora


Pra entender o caso: Sargento Siqueira é suplente de deputado e está envolvido na Operação Impacto que investiga o pagamento de propina a vereadores durante a votação do Plano Diretor de Natal. Reeleito em 03 de outubro e, consecutivamente, com o mandato assegurado a partir de 2011, eis que o deputado Gilson Moura renuncia ao mandato alegando necessidade de acompanhar uma irmã enferma, abrindo vaga para que o Sargento Siqueira assuma a vaga e conduza o processo da Operação Impacto mais uma vez para foro privilegiado. A direção do PV fala em negociata... Na charge, a câmara assume uma ambiguidade que não tem graça nenhuma em tempos de aperfeiçoamento da ética política (vide projeto Ficha Limpa).
Nada contra o deputado Gilson Moura, mas, advogado e conhecedor das leis que é, não teria ele uma alternativa de afastamento, licença, ou falta justificada para acompanhar a irmã? Esse é o velho problema filosófico do conflito entre a legalidade e a moralidade.
E o que fará a Justiça? Que tal esperar o fim do mandato tampão de Siqueira e seu foro privilegiado?

Compartilhar/Share