sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Eu, ex-chargista do Diário de Natal.


Calma, eu não morri! É só pra comparar a passagem do tempo...

Minhas atividades de chargista no Diário de Natal se encerram hoje, 30 de outubro de 2010. Vinte e um anos se passaram desde que ocupei definitivamente a vaga do saudoso chargista Edmar Viana, referência e inspiração para os desenhistas de minha geração. Na época, econtrava-me despreparado para assumir aquele desafio. Não acompanhava nem entendia os fatos políticos do noticiário. Tinha uma boa experiência em quadrinhos e desenho de humor, mas encarar o desafio da charge diária era assustador. Mas, como diz o Zina, "cai pra dentro". E fiquei durante todo esse tempo. A experiência me ajudou a aperfeiçoar o traço e a abordagem dos temas não muito engraçados do noticiário político e econômico. Aprendi a ser um bufão do traço. Sempre persegui (não sei se alcancei) o humor inteligente. Não aquele humor intelectualizado, insípido, meramente verbal, mas um humor que levasse as pessoas ao riso crítico, reflexivo, denunciador. Muitas vezes tive que refazer a charge, ajustando um detalhe ou outro, ou começando tudo do zero, até achar que o humor ficou no ponto certo: nem besteirol, nem insípido. Um sorriso pensante. Gostaria de agradecer a todos os repórteres e editores com quem convivi. Vocês são parceiros natos, indispensáveis. Às vezes, o chargista passa a impressão de que ele é um expert em tudo. Ledo engano. Não entendo nada do "economês" e não conheço cada cantinho do labirinto político. Muitas vezes, preciso recorrer ao repórter, pedindo ajuda para entender a matéria que ele escreveu e que precisa ser traduzida para a linguagem visual. Fico triste pelo Diário de Natal. Claro que sei tratar-se de uma empresa, inserida no sistema capitalista que visa a rentabilidade e que muitas vezes precisa cortar custos. Não se trata de mágoa, pois sei que não é nada pessoal e sei que não dei motivos para minha demissão. É que depois de duas décadas a gente se acostuma e cria uma relação com o simbolismo do veículo. Era comum me apresentar como Ivan Cabral, chargista do Diário de Natal. Agora...
Bom, agora vamos pra frente que atrás vem gente. Continuarei utilizando o blog para postar charges e cartuns de minha lavra. Terei tempo para desengavetar diversos projetos de livros que nunca lancei, retomar a participação nos Salões de Humor, tentar um doutorado... Se Deus quiser!
Sigam-me os bons!

15 comentários:

Robson Nunes disse...

Fiquei pasmo com a notícias, Ivan. Não sei que motivo maluco levou o Diário a fazer isso com um dos maiores símbolos do jornal. Fica nossa força pra você. É um dos maiores que essa terra já produziu, junto com o Edmar Viana. Perdeu o Diário, perdeu o jornalismo do RN, perdemos todos nós...

Brum disse...

Só pra completar um paragrafo que voce termina com "AGORA...": Agora, com certeza outro veículo vai aparecer e lhe contratar. O mercado sempre está aberto para quem é bom. Todos falam de Edmar Viana. Se eu for falar dele, com todo respeito e admiração que tenho pelo seu trabalho, seria hipocrisia, afinal, só tomei conhecimento de suas charges quando pisei a quatro anos em terras potiguares...mas voce Ivan, mesmo lá no Rio, quando ainda estava decidindo se continuaria com a publicidade ou me dedicaria aos desenhos foi um dos caras que me inspiraram. Com certeza muito chargista que tá no mercado e outros que entrarão um dia já disse: Eu quero ser como esse cara (e apontou pra uma charge sua), pois seu talento lhe trouxe fama por todo o Brasil. Por isso , e mesmo sem ter conhecimento da pessoa, fica aqui um agradecimento à Edmar, pelo discipulo que ele colocou no mercado, tão importante pro mercado da charge nacional. Me lembro que quando me falaram que era pra Natal que eu viria uma das coisas que eu prometi a mim mesmo é que tentaria lhe conhecer, e graças a Deus tive essa oportunidade. Se alguem perdeu, não foi o Diário, e sim os leitores, pois pra eles voce fará uma falta tremenda...mas como eu disse, isso é passageiro. Levante a cabeça e conte com esse chargista que mesmo no iniciozinho, lá no Rio, sempre lhe teve como inspiração. Sucesso nessa nova fase, e quando for se apresentar diga apenas IVAN CABRAL, isso e maior do que qualquer titulo "do Diário", "da Tribuna", Do Globo"....pois a estrela do traço é voce e nao o veículo

Ivan Cabral disse...

Oi, Robson... valeu pela força e parabéns pelo seu trabalho. Muito inspirador.

Ivan Cabral disse...

Valeu, Brum. Verdade. Sou Ivan Cabral. Obigado pelo incentivo e exagero no elogios! Um abração.

RKM Assessoria e Cerimonial disse...

Oii ivan, trabalhamos juntos por quatro anos, trocamos no máximo "ois" pelos corredores do DN, mas minha admiração pelo seu trabalho sempre foi muito além disso..fiquei surpresa e triste com as notícias de novas demissões no DN..até hoje não entendo o que de fato aconteceu com o jornal que amei durante quatro anos, como estagiária e como repórter..mas é isso..bola pra frente! Como disse Brum, a estrela do traço é voce e nao o veículo..te desejo muito sucesso e grandes oportunidades. Vc merece. Abraços, Renata Moura (entre diversas outras coisas, agora repórter da Tribuna)

Emídia disse...

Ivan, seu talento está muitíssimo acima de quaisquer decisão empresarial. Sou sua fã!

Emídia disse...

Ivan, seu talento está muitíssimo acima de quaisquer decisões empresariais. Sou sua fã!

Adriana Amorim disse...

Fiquei besta com a notícia! Suas charges são de uma inteligência surpreendente... Sucesso na sequência! Grande abraço!

Brum disse...

E quem disse que eu exagerei????

Bosco Araújo disse...

Grande Ivan, força companheiro. A vida é muito maior! E mais: O TALENTO NÃO SE DEMITE.

Catarino disse...

Fico triste com sua demissão, sei o quanto dói, já aconteceu comigo, mas o futuro é sempre melhor e mais desafiador. Você vai descobrir novas oportunidades que nem buscava.
Desejo que tenhas serenidade e sorte nesse período de transição.

Carlos Augusto [Floyd] disse...

Ivan, parabéns pelo seu trabalho. Apesar do pouco tempo que o acompanho, nota-se a qualidade em primeiro lugar.
O Diário de Natal está conseguindo se auto-destruir, é impressionante.
Mas é isto, o Diário que se lasque!
A sua carreira ninguém destrói.

abraço.

ALCINDO DE SOUZA disse...

Caro Ivan,
Sou seu conterrâneo mas nem por isso sinto-me suspeito para fazer referências a você que considero um profissional altamente qualificado no seu ofício. Como chargista, acho-o insuperável aqui por estas bandas potiguares e certamente um dos melhores do país. Aí vem um veículo como o Diário e abre mão de um talento como você. Não dá pra entender. Mas... boa sorte e como sabemos, o mundo profissional se rende ao talento. Então... que os novos desafios chegem o quanto antes. Boa sorte!

Anônimo disse...

Prezado Ivan, aqui de São Luís, do Diário da Manhã, acostumei-me com as suas charges. Seu blog segue pendurado nos meus Favoritos. Sua saída é lamentável. Mas também sei o que é manter um jornal no Nordeste. As dificuldades imensas. Em todo caso, boa sorte e um grande abraço.
Roberto Kenard

Bezerra Guimarães disse...

Poste sempre!!!

Eu sinto pelo Diário, foi realmente uma grande perda. Mas... Como disse Renato Russo:

NOSSO SUOR SAGRADO É BEM MAIS BELO QUE ESSE SANGUE AMARGO.


(é o sistema)

Compartilhar/Share