terça-feira, 25 de março de 2008

Edmar, palhaço do traço


O humor potiguar está meio sem graça nesta manhã. Agora é certo. Definitivamente, Edmar não retomará sua coluna de humor, o famoso Cartão Amarelo, para alegrar o noticiário local com sua irreverência gráfica. Resta-nos pesquisar sua obra, relembrar os grandes lances de criatividade que marcaram sua trajetória de 35 anos de humor. Edmar não era apenas chargista. Seu personagem mais famoso, o Pivete, um moleque negro que driblava suas dificuldades no convívio social com muito sarcasmo e ousadia ficará na história. O humor de Edmar não era rebuscado, difícil de se entender; não era dirigido para intelectuais. Ele estava mais pra Didi do que pra Jô Soares. Edmar falava para o povão. Um simples "VÔTS!", um "VIXE!", um inquiridor "CUMA?" eram suficientes para arrancar o riso escancarado do leitor. Seu humor era circense; ele era um palhaço do traço. Embora tenha partido cedo, Edmar deixa-nos um legado de 35 anos de charges e cartuns. Se é dificil para nós quantificarmos essa produção, imagine a vã tentativa de qualificá-la! Meus primeiros contatos com a charge se deram através do Cartão Amarelo, durante o antigo segundo grau na igualmente antiga biblioteca da ETFRN. Aquelas leituras aguçaram meu humor latente. Ri muito e acho que aprendi a fazer rir por culpa de Edmar. Tive a honra de substitui-lo em 1983 no Diário de Natal por três meses. Quando ele desocupou aquela preciosa cadeira assumi seu posto com muito temor e despreparo, em 1988. Confesso que sinto um pouco de temor sem ter a companhia de Edmar nesta profissão onde aprendemos mais uns com os outros do que com cursos de formação. Assim como o Pivete, sinto-me um pouco órfão também. Cartão Vermelho pra morte!

3 comentários:

Tati Viana disse...

Bom... Estou sabendo disso agora a pouco, pelo DN Online, e acabei de postar no meu blog a notícia.

Primeiro Evaldo, agora o Edmar...

Bosco de Araújo disse...

Amigo Ivan,
realmente o time ficou desfalcado com o cartão vermelho recebido pelo craque Edmar, embora a torcida para que noutro time ele também esteja bem colocado, junto à seleção do Deus-Pai, criador da charge humana.

Bira disse...

Fiquei muito triste, Ivan!
Eu só soube hoje, pois meu irmão está em Caicó e me avisou!
Se eu tivesse lido teu blog ontem...
Torço pro Edmar estar em um lugar bem melhor.
Força pra ele e pra gente!
Abração

Compartilhar/Share