quinta-feira, 7 de junho de 2007

Charge ou cartum?

Quando elaborava esta charge, meu filho me avisou: Pai, isso é um cartum!
Entre suas características, a charge é carregada de temporalidade e espacialidade. Em outras palavras, é baseada em um fato real, jornalístico, preciso. O cartum, ao contrário, navega sem âncora no oceano da universalidade. É menos perecível, pois sua compreensão não fica comprometida com o passar do tempo nem com a localização geográfica do leitor, respeitadas as diferenças culturais.
E neste caso, que tipo de humor gráfico foi produzido? Uma charge ou um cartum? A explicação se encontra no fato desta charge abordar um tema universal (a desonestidade), embora atrelada às denúncias e escândalos cada vez mais constantes do noticiário. Penso que existem, então, "charges cartunescas". Elas tratam de problemas reais e perenes. Exemplos semelhantes podem ser encontradas nas charges que tratam da degradação do meio ambiente, do crescimento da violência, da exclusão social , etc. Todos estes são problemas de longa duração e de solução lenta e difícil. Igualmente, podem existir cartuns (mesmo antigos) que atrelados à uma notícia pertinente podem funcionar como charge. Estamos de falando de fragilidade nos limites da definição do humor gráfico, de um humo gráfico mutante.

2 comentários:

Anônimo disse...

QUE RIDICULO COLOQUEM UMA COISA MELHOR AI TA

Anônimo disse...

QUE RIDICULO COLOQUEM UMA COISA MELHOR AI TA