quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Roubo


Ainda bem que não existe espionagem industrial no Brasil.
Se um ladrão fajuto rouba um laptop com informações sigilosas, que estrago não faria um "profissa"?

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Eleições e Alianças


Tem muito sapo corajoso nesse mundão da política.
Ah.. e não me diga que você não conhece a fábula do Sapo e do Escorpião?

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Alcaçuz


Em menos de uma semana, uma nova degola em Alcaçuz, presídio de segurança máxima. Pra quem tá do lado de fora.

sábado, 2 de fevereiro de 2008

O mais novo sinal de trânsito


E o ano já começa com confusão. Justamente na véspera do Carnaval, a MP 415, que proíbe a venda de bebidas alcóolicas nas rodovias federais entra em vigor deixando os foliões ( e a indústria e o comércio de bebidas) em polvorosa.
Todo mundo e mais uma "ruma" de gente sabe dos resultados terríveis da associação bebida & direção. Os números da PRF apontam que, no Carnaval de 2007, 2.358 acidentes nas estradas mataram 145 pessoas e deixaram 1.590 feridas. Esse é o problema real. Ele não é difícil de ser detectado. O nó é quando se vai procurar uma solução. O governo resolveu, além de fiscalizar o trânsito, atacar a venda da bebida, o que provoca uma reação natural dos comerciantes. A Medida Provisória é polêmica por natureza. Quer dizer, se você comprar bebida longe da BR, não tem problema... ou tem? Acho que o problema é mais embaixo. Creio que o governo deveria ser rigoroso com o motorista que bebe e dirige (alguns até bebem enquanto dirigem!). Quantas pessoas você conhece que perdeu a carteira de motorista por dirigir bêbado? Eu não conheço nenhum. Mas tenho certeza que eu e você conhecemos várias pessoas que costumeiramente associam álcool e direção. Não interessa onde elas compraram a bebida; o que interessa é o que elas fazem quando assumem o volante de um automóvel. O problema é de ordem educacional; mas a reversão desse processo é lenta. Enquanto isso, é preciso atacar a parte mais sensível do ser humano: o bolso. Só acho que estamos atacando o bolso da pessoa errada.

P.S.: A propósito, a cerveja é uma bebida leve? Leia este artigo, retirado do site da ABETRANS: http://www.abetrans.org.br/noticias/index.php?C=2179&PHPSESSID=0fa43521e8779465d50cf845ed1af01a

Retorno

Oi, gente. Voltei e, infelizmente, com a notícia triste da situação do Edmar, que ainda se encontra hospitalizado em estado grave após complicações após uma parada cardíaca ocorrida no dia 24/01. Edmar apresenta melhoras, mas sua situação ainda é delicada e devemos todos continuar torcendo e orando por sua recuperação total.
Edmar é um dos nomes que são referências do humor gráfico do Rio Grande do Norte. Sua carreira teve início em 1973 no Diário de Natal, onde começou a publicar cartuns e charges em parceria com o jornalista Everaldo Lopes, criador da coluna Cartão Amarelo. Na coluna predominava o verbal, mas, com a participação de Edmar, as imagens foram ocupando um espaço gradativamente maior até tranformá-la no espaço de humor gráfico mais famoso da imprensa potiguar.
Ele inspirou uma geração. Lembro de quando cursava Geologia na ETFRN (é, eu sou velho!); nossa diversão maior era correr para a biblioteca e folhear os diversos bloquinhos com todos os "Cartões Amarelos" que eram colecionados por um funcionário e ficavam à disposição dos estudantes para consulta. Acho que nunca houve uma biblioteca mais alegre do que aquela. Apenas o riso, impossível de ser controlado em virtude da força do humor de Edmar, tinha a permissão para quebrar o (con)sagrado silêncio inerente ao ambiente.
Edmar é uma referência obrigatória para todos os cartunistas, chargistas e quadrinistas do RN. Seu trabalho é um pré-requesito na formação de todo aquele que trabalha com o humor gráfico.Jamais imaginaria que teria a honra de ocupar aquele espaço tão nobre. Em 1983, Edmar teve problemas de saúde e eu o substitui por três meses. Em 1988, a dupla Edmar/Everaldo deixou o Diário de Natal e, desde então, tenho tentado fazer jus à nobreza daquele espaço. Durante um tempo (não lembro quantos anos), o Diário de Natal manteve o título "Cartão Amarelo" na coluna, o que levou Edmar e Everaldo a subtitularem sua coluna com "O legítimo". Detalhes jurídicos à parte, sempre tivemos um pelo outro grande respeito e admiração.
Edmar já deu uma grande contribuição no campo do humor, mas o fato é que nós QUEREMOS MAIS! Por isso... VAMOS LÁ, CABRA MOLE! Levanta já dessa cama, pega os pincéis e lápis e vamos malhar com essa politicagem sebosa, vamos esculhambar com essa injustiça social que nos rodeia, vamos fazer o povo rir e pensar!
Faço minhas as palavras do colega Cláudio Oliveria: FORÇA, EDMAR!

Aqui, uma amostra do talento de Edmar, com o Pivete e suas tiradas geniais:


Compartilhar/Share